Matrícula é o documento público que reúne informações relativas a determinado imóvel. Na matrícula é possível localizar, dentre outros dados, identificação e caracterização do imóvel, nome e qualificação do proprietário, origens do imóvel, transmissões por meio de venda, doação, adjudicação, arrematação, partilha etc, além de ordens de indisponibilidade, penhora, hipoteca, alienação fiduciária etc. A matrícula foi instituída pela Lei n. 6.015, de 31-12-1973, denominada Lei dos Registros Públicos, e passou a ser adotada nas serventias de registro de imóveis apenas em 1-1-1976, por conta do período de vacância de 3 (três) anos. Nesse sistema registral, o foco é o imóvel. 

No entanto, antes de 1976, na vigência da antiga Lei dos Registros Públicos (Decreto n. 4.857, de 9-11-1939), o sistema registral estabelecia que as transmissões seriam transcritas, por extrato. Os registros, independentemente do imóvel negociado, eram realizados um abaixo do outro. Não havia, pois, concentração das informações com base no imóvel. As hipotecas eram inscritas em livro próprio.