Na hipótese de não haver, na serventia vaga, funcionário que ocupe o cargo de escrevente, o juiz diretor do foro deverá, a rigor, escolher escrevente de outra serventia, preferencialmente bacharel em Direito.

Legislação Correlata

CNCGJ/2013, art. 107, §1º